Apresentação da obra Entre a Escola e a Vida

A Fundação Manuel Leão, em parceria com o Centro de Investigação em Educação, da Universidade do Minho e o apoio da Fundação para a Ciência e Tecnologia, acaba de editar a obra “Entre a escola e a vida” com a organização de Almerindo Janela Afonso e José Augusto Palhares.

“Possuímos um importante background de investigação com contributos teórico-conceptuais e empíricos que têm vindo a consolidar o subcampo sociológico da(s) juventude(s). Nele continuam a inscrever-se, com regularidade, novos objetos de estudo. São disso exemplo, os mais recentes movimentos de refugiados e de outras diásporas contemporâneas, que obrigam a repensar criticamente os pressupostos do nacionalismo metodológico. Outras decisões de mobilidade, sobretudo de jovens diplomados, traduzem também constrangimentos na busca de alternativas de vida fora das fronteiras nacionais. Elas induzem a fuga de cérebros, enquanto, nos antípodas, um número significativo de outros jovens recria estranhos modos de vida ou assume a condição de nem-nem ou de NEET (not in employment, education or training). Estes e outros factos novos interpelam fortemente a Escola que parece ainda alheada das metamorfoses do mundo. Talvez revele mesmo dificuldade em lidar com a multiplicidade sedutora de experiências e aprendizagens (imprevisíveis e instáveis, informais e não-formais) que, ao contrário, encontram eco noutros espaços e tempos. É, ainda, na escola pública onde se expressam os dilemas e desafios decorrentes de lógicas e medidas mais igualitárias e democráticas, no confronto com diferentes “sentidos de justiça” – por sua vez, interpelados por uma visão (neo)meritocrática, que quer reforçar o “culto da excelência”, reatualizando os modos de reprodução social e cultural. Estas e outras questões, de forma explícita ou implícita, são transversais aos vários olhares que aqui ficam registados.”

Saber + Adquirir a obra

Nota informativa

Dorrente da situação pandémica atual que assola o nosso país, a Fundação Manuel Leão (FML) gostaria de transmitir uma mensagem de união e serenidade, consciente que o momento que atravessamos, todos, sem exceção, é muito difícil. A todos os cidadãos muita coragem. Aos governantes e profissionais das áreas que lidam diretamente com os focos pandémicos, o nosso obrigado.

Como não podia deixar de ser, a FML está atenta e segue todas as directrizes e conselhos da DGS em termos de segurança e saúde. Por isso, organizamos a nossa equipa de acordo com as indicações institucionais. Nesse sentido, grande parte da equipa trabalhará em regime de teletrabalho nos próximos dias. Este facto poderá condicionar alguns contactos mais diretos e imediatos.

Para informações adicionais contacte-nos:
t. 223 708 681
fmleao@fmleao.pt

Até já,
Fundação Manuel Leão