Conheça as principais reações dos media portugueses ao estudo sobre “As motivações e preocupações dos professores” 8 Setembro, 2016 – Etiquetas: , ,

banner_AVES_SEMINARIO

Exaustos, desiludidos ou baralhados. Um terço dos professores sente-se assim
Inquérito a 2910 professores. 60% lamentam que os pais “não se preocupem com a educação dos seus filhos”. Desmotivação, falta de apoio familiar e desatenção são os problemas maiores que identificam nos alunos dos dias de hoje.
fonte Público

Maioria dos professores não se sente valorizado
“Exausta” e “desiludida” são os adjectivos mais usados para caracterizar a relação com o exercício da profissão, de acordo com um inquérito inserido no trabalho “As Preocupações e as Motivações dos Professores Portugueses”, desenvolvido pela Fundação Manuel Leão.

fonte Rádio Renascença

“Professores desmotivados falam em profissão sem prestígio”
Exaustos e desiludidos, é desta forma que se assumem muitos professores em Portugal. A um dia do arranque do novo ano letivo, um terço dos docentes revela desmotivação. São as conclusões de um inquérito, a quase três mil profissionais de ensino divulgado esta quinta-feira.
fonte RTP Notícias

“Professores acham que os pais não se preocupam com a educação dos filhos”
Estudo revela que 64% dos docentes considera que a educação piorou em Portugal na última década e 91% sente que o seu trabalho não é valorizado.
fonte tvi24

 “Um em cada três professores gostava de deixar de dar aulas”
Inquérito a quase três mil docentes de todo o país revela elevado grau de desmotivação, com um terço dos profissionais a dizer-se “exausto” e “desiludido”. Quase todos consideram que o prestígio da sua profissão diminuiu, mas é no ensino público que o desencanto se faz sentir mais.
fonte Expresso


“Um em cada três professores está “exausto” e “desiludido””

O estudo “As Preocupações e as Motivações dos Professores Portugueses” destaca que 31% dos profissionais não estão motivados para ensinar e que 64% dos docentes considera que a educação em Portugal se deteriorou na última década.
fonte Esquerda

“Maioria dos professores queixa-se da indisciplina”
Manter a ordem na sala de aula é o maior problema. Só 1.º ciclo aponta a extensão dos programas como mais problemático do que a indisciplina. Ouvir os alunos pode ser solução.
fonte Diário de Notícias

“A educação em alerta vermelho”
A imprensa de hoje dá bastante relevo à divulgação dos resultados de um trabalho coordenado por Joaquim de Azevedo desenvolvido pela Fundação Manuel Leão, “As preocupações e as motivações dos professores”.
fonte Atenta Quietude

“Grande maioria dos professores sente que trabalho não é valorizado”
A esmagadora maioria dos professores (91 por cento) considera que nos últimos anos diminuiu o prestígio da sua atividade e 85% entende que o Ministério da Educação não valoriza o trabalho que faz, revela um inquérito hoje divulgado.
fonte diário digital

“Mais de 30% dos professores preferia abandonar o ensino”
Os professores sentem-se exaustos, desiludidos e desmotivados. Um estudo da Fundação Manuel Leão revela que mais de 30% dos docentes preferia abandonar o ensino. Esta pesquisa baseia-se nas respostas de 2910 professores, de 130 escolas, públicas e privadas, de vários níveis de ensino.
fonte Sic Notícias

“Professores sentem que não são valorizados pela sociedade”
A esmagadora maioria dos professores (91 por cento) considera que nos últimos anos diminuiu o prestígio da sua atividade e 85% entende que o Ministério da Educação não valoriza o trabalho que faz.
fonte Jornal de Notícias

« “Confiamos-lhes os nossos filhos durante 18 anos”, mas não os valorizamos
Fundação Manuel Leão acolhe Residência Artística de Mónica Faria na Casa da Imagem »