CoMMusI

CoMMusI_logotipo

CoMMusI é um Programa Sociocomunitário de Educação Artística, que combina Comunidade e Música CoMMusI, e que visa a integração socioeducativa de todas as crianças, em particular aquelas que vivem e crescem em situações de maior risco e vulnerabilidade social e pessoal.

  Em que se fundamenta

Não se substituindo ao ensino artístico, antes o complementando, a educação artística é, comprovadamente, um factor essencial ao pleno desenvolvimento humano: cognitivo, emocional e físico. Cabe às sociedades modernas e desenvolvidas trabalhar no sentido de apresentar e propor as expressões artísticas como uma linguagem acessível a todos e possível de ser utilizada por todos.

É, aliás, neste sentido que vão algumas das recomendações saídas da Conferência Mundial da UNESCO sobre Educação Artística, realizada em Lisboa, em Março de 2006, chamando a atenção para: “a necessidade de assegurar que a educação artística chegue a todas as crianças e sociedades, independentemente de considerações relacionadas com riqueza e cultura”; para a urgência de “tornar a educação artística disponível dentro e fora das escolas a todos os indivíduos, independentemente das suas aptidões, necessidades e condição social, física, mental ou situação geográfica”; para “o carácter indispensável das artes como parte essencial de uma educação de qualidade, pela contribuição que dão para a compreensão do mundo e para o alargamento das capacidades e da inteligência”; para “o efeito transformador das artes sobre as vidas das pessoas”; para “a necessidade futura de indivíduos com competências artísticas, aos níveis social, democrático e económico”.

Para além desta importância no desenvolvimento da pessoa como um ser pleno, também há uma dimensão social e comunitária na forma como este projecto se concretiza, isto porque se parte da comunidade – famílias e crianças, empresas e fundações, juntas de freguesia e centros de saúde, associações e escolas – para se chegar à comunidade, de novo os mesmos actores, agora culturalmente mais ricos e humanamente mais fortes e solidários. 

Este projecto promove a atenção e o foco dos poderes públicos, das iniciativas privadas e do terceiro sector sobre a necessidade não só de facilitar a cooperação entre escolas, pais, organizações comunitárias e todas as instituições locais, mas também de mobilizar os recursos locais das comunidades para desenvolver programas de educação artística (a música, neste caso).

commusi_05
commusi_12
commusi_11
commusi_10
commusi_09
commusi_08
commusi_07
commusi_06
commusi_04
commusi_03
commusi_02
commusi_01


  Objetivos gerais do Programa

  promover iniciativas de educação artística da população, com especial atenção às crianças e aos jovens, em ordem a proporcionar o desenvolvimento humano e o bem-ser e bem-estar da população;
  fomentar a coesão social seja pelo incremento de redes de cooperação entre escolas, associações culturais e de moradores, empresas e autarquias locais, seja pela atenção particular às crianças, adolescentes e jovens que estão em situações de maior vulnerabilidade e risco sociais;
•  fomentar a vivência e a prática da música junto do maior número possível de crianças, adolescentes e jovens e junto das suas escolas, tanto através da aprendizagem de um instrumento, como integrando-os em coros e orquestras infantis e juvenis.

Por isso, este Programa tem uma matriz sociocomunitária que privilegia a educação artística musical: COMUNIDADE com a MÚSICA; MÚSICA que gera mais COMUNIDADE, mais coesão social e mais abertura ao mundo.




  Ponto de partida e sede

O ponto de partida e a sede do Programa CoMMusI centra-se no bairro de Vila d’Este, uma urbanização com 17 mil habitantes, localizada numa das 24 freguesias de Vila Nova de Gaia – Vilar de Andorinho. Vila d’Este foi construída entre 1976 e 1982, conta com 109 edifícios distribuídos por 18 blocos, correspondente a 2.085 habitações e 76 espaços comerciais.

Dados estatísticos recentes permitem efectuar a seguinte comparação: Vila d’Este tem mais residentes do que cerca de oito dezenas de algumas cidades portuguesas, valores que descrevem o impacto sociodemográfico da urbanização e que podem ajudar a reflectir a situação actual desta. A degradação, a pobreza e a situação económica e social precária que caracterizam este local, reclamam um projecto significativo de reabilitação humana, social e urbana, capaz de se sustentar na máxima envolvência comunitária. É neste sentido que o Programa CoMMusI está a agir, a par de outras iniciativas autárquicas e associativas e em articulação com elas.

  Público alvo

O Programa COMMusI desenvolve actividades de educação artística na área da música, junto dos alunos das escolas básicas e secundárias do concelho de Vila Nova de Gaia, com base em Vila d’Este, onde está sedeado o programa. Pretende-se, por outro lado, o desenvolvimento de uma cooperação activa entre as crianças, os jovens e as suas famílias, bem como todos os interessados nas comunidades, no sentido de reforçar os vínculos da solidariedade e, ao mesmo tempo, contribuir para o seu progresso social e cultural.

  Coordenação

A coordenação geral do projeto está a cargo de Joaquim Azevedo. A coordenação executiva e pedagógica é da responsabilidade de Isabel Rocha, individualidade de reconhecido mérito nesta área, ex-Directora do Conservatório de Música do Porto. A concretização do projeto só é possível graças a um coeso e dedicado grupo de professores de música.

  Parceiros e voluntários

A principal entidade parceira do CoMMusI, neste momento, é a Câmara Municipal de Gaia, que disponibilizou os espaços físicos para a sede, em Vila D’Este, bem como equipamentos e que apoia o seu desenvolvimento com a prestação de vários serviços, existentes na autarquia.

O objectivo primeiro é desenvolver actividades de educação artística na área da música junto das crianças e jovens, agora de Vila d´Este, mas também abertas à comunidade local. Estamos a trabalhar no alargamento deste Programa a outros bairros de Vila Nova de Gaia, dando continuidade a um plano muito concreto de integração social das crianças e dos jovens, sobretudo os mais frágeis e excluídos, aproveitando as potencialidades da música no seu desenvolvimento pessoal.

Novos parceiros se têm associado ao projecto como o El Corte Inglés de Vila Nova de Gaia.

  Financiamento do programa

Este programa é financiado integralmente pela Fundação Manuel Leão. Destaque-se o papel inspirador e visionário que o anterior Presidente da Câmara Municipal de Gaia, Dr. Luís Filipe Meneses, sempre emprestou ao Programa, continuado pelo atual executivo liderado pelo Dr. Eduardo Rodrigues. Todavia, só podemos avançar para novos bairros com mais apoio externo, via Câmara Municpal, via doadores, mecenas e voluntários.

Tendo em vista dinamizar o apoio dos particulares foram lançados uns pacotes de “Sementes de Solidariedade”, através da marca ISSO-Inovação Social e Solidária, da mesma Fundação Manuel Leão. Estes “pacotes de sementes” estão à venda em locais públicos (começámos pelo El Corte Inglés e pelas paróquias de VNGaia), e permitem financiar a compra de instrumentos e outras despesas básicas. Após a aquisição de um pequeno pacote (de 1 euro a 10 euros), cada apoiante pode acompanhar, via net, o que se passa com a aplicação do seu donativo, em cada momento.
Saiba mais sobre este modelo de financiamento

    Experiências inspiradoras

Concretamente no que diz respeito ao papel da música na educação das crianças e dos jovens, eloquente será o exemplo da Hungria das primeiras décadas do século passado, onde, por influência de Zoltan Kodály (compositor, folclorista, musicólogo húngaro e professor da Academia de Música de Budapeste), a educação musical em algumas escolas passou a ser leccionada diariamente: alguns anos depois constatou-se que o desempenho destes alunos era melhor em todas as disciplinas, dado o nível de capacidade de concentração e reflexão que adquiriam (estudo-caso apresentado no 46º Seminário europeu de professores – Conselho da Europa – sobre o tema “A educação musical no sistema educativo).

Igualmente é de sublinhar o caso do “El Sistema”, na Venezuela, onde se têm vindo a alcançar níveis elevados de inclusão escolar e social de crianças de meios desfavorecidos, através de programas de educação musical. A Música, como componente educativa, constitui um pilar para o desenvolvimento integral das crianças e dos jovens, a par da Língua Materna, da Matemática e de outras linguagens estruturantes.

  Voluntariado

O CoMMusI precisa também da colaboração de voluntários que queiram dar horas do seu tempo para ensinar música, durante um ano, pelo menos, desde que sejam formalmente reconhecidos como professores de música e após uma avaliação da disponibilidade feita pela coordenadora.

Saiba mais sobre o voluntariado na Fundação Manuel Leão